Dólar fecha em alta nesta quarta, mas cai 7,8% em outubro

Economia

O dólar fechou em alta nesta quarta-feira (31), na última sessão do mês, sob a influência da valorização da moeda norte-americana ante outras divisas no exterior e um dia depois de o Banco Central ter sinalizado que pretende rolar integralmente o vencimento em swap cambial tradicional de dezembro.

A moeda norte-americana subiu 0,85%, vendida a R$ 3,7227. Já o dólar turismo foi negociado a R$ 3,88, sem considerar a cobrança de IOF (tributo). Veja mais cotações.

Em outubro, o dólar acumulou queda de 7,80% e teve o maior recuo mensal desde junho de 2016 (11,05%).

A formação da taxa Ptax (usada na liquidação de diversos derivativos cambiais) nesta quarta deixou o mercado mais técnico e volátil e também contribuiu para a alta do dólar.

“Passada a formação da taxa Ptax, o mercado voltou a olhar novamente os ativos, sobretudo lá fora, em dia de noticiário doméstico calmo”, comentou para a Reuters o operador de câmbio da corretora Spinelli José Carlos Amado.

Os investidores mantiveram as atenções ao cenário externo e ao noticiário político local, após declarações do economista Paulo Guedes, que assumirá um superministério da área econômica no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro.

As primeiras declarações mostram a intenção da equipe de Bolsonaro de tentar aprovar a reforma da Previdência ainda no governo de Michel Temer.

Cenário externo

Nesta quarta-feira, a criação de vagas do mercado privado de trabalho teve seu maior aumento em oito meses em outubro, sugerindo que a abertura de postos de trabalho acelerou este mês após o furacão Florence ter prejudicado em setembro.

O Fed (Federal Reserve, banco central dos EUA) subiu os juros três vezes este ano e há previsão de mais cinco aumentos até o início de 2019 – a próxima elevação no último encontro deste ano, em 18 e 19 de dezembro.

Atuação do BC

Na noite de terça-feira, o BC anunciou leilão para esta quinta-feira (1) de 13,6 mil contratos, volume que, se repetido até o final do mês e vendido integralmente, rolará o total de dezembro.

Em dezembro, vencem US$ 12,217 bilhões, segundo a Reuters.

 Segundo a Reuters, a crença de que Bolsonaro seria eleito fez com que o dólar ficasse mais barato em 20 centavos de real entre o primeiro e segundo turno, mas a continuidade desta queda passa a depender do que o novo governo vai implementar de fato.

O recuo do dólar ante o real já durante a corrida pelo segundo turno das eleições foi em decorrência da precificação da presença do liberal Paulo Guedes na equipe de Bolsonaro como ministro da Fazenda, responsável por implementar medidas caras ao mercado, como ajuste fiscal, privatizações e reforma da Previdência. Mas esse otimismo entre os investidores só vai se manter se a agenda reformista andar.

A projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2018 recuou de R$ 3,75 para R$ 3,71 por dólar, segundo previsão de economistas de instituições financeiras divulgada pelo boletim de mercado, também conhecido como relatório “Focus”. Para o fechamento de 2019, permaneceu estável em R$ 3,80 por dólar.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *