Notícias Eduardo Bolsonaro critica Enem: ‘Linguagem de travesti’ não é requisito no MEC

Destaque

Uma crítica do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), filho do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), à última prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi vista como um recado a um dos principais cotados para assumir o Ministério da Educação.

O nome da educadora Maria Inês Fini, atual presidente do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais (Inep), responsável pelo Enem, circulou na última semana como uma das opções de Bolsonaro para a pasta.

“Aviso que não é requisito para ser ministro da educação saber sobre dicionário dos travestis ou feminismo”, escreveu Eduardo, que foi reeleito no último pleito, em uma postagem que traz uma foto da questão 37 da prova aplicada no último domingo (4).

A questão trazia o texto “‘Acuenda o Pajubá’: conheça o ‘dialeto secreto’ utilizado por gays e travestis”. O estudante deveria então responder não sobre as expressões informais por comunidades LGBTI+, mas se o “dialeto” caracterizava-se como patrimônio linguístico.

 

 

Fonte: Yahoo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *