Processo de beatificação do frei Miguel foi aberto pela Arquidiocese de Aracaju

Brasil

A Arquidiocese de Aracaju iniciou, oficialmente, no último dia 1º de novembro o processo de Beatificação do Frei Miguel, frade capuchinho que se tornou conhecido como “O Apóstolo de Aracaju”, e a quem o povo de Deus atribui uma vida de santidade.  A cerimônia, sob a presidência do arcebispo metropolitano, Dom João José Costa, ocorreu às 19h na paróquia São Judas Tadeu, comunidade onde o Frei Miguel exerceu seu ministério por várias décadas.

 O tempo canônico exigido pela Igreja para iniciar esse processo é de 5 anos, contado a partir do dia do falecimento do capuchinho. Ele morreu em 9 de janeiro de 2013 com 104 anos de idade.

 Em 2017, uma comissão (tribunal canônico) constituída pelo Arcebispo Metropolitano, fez a catalogação de depoimentos de curas e milagres atribuídos à intercessão daquele que também ganhou o título de missionário capuchinho da caridade e da reconciliação.

 Em 9 de Julho de 2013, o então Arcebispo Metropolitano de Aracaju, Dom José Palmeira Lessa, publicou uma oração pela qual os fiéis pedem a Beatificação do Frei Miguel. No dia 9 de cada mês, são celebradas 3 missas em sua memória, (6h30, 16h30 e 19h30) com grande participação dos fiéis.

 

 

CNBB com informações da Arquidiocese de Aracaju

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *