Neto de Lúcia Braga registra “BO” na Polícia Civil e diz que filha do casal queria se apoderar de jóias da ex-deputada

Parentes do casal Wilson e Lúcia Braga não esperaram sequer o sepultamento da “mãe dos pobres”, como era chamada Lúcia Braga, que morreu de coronavírus na sexta-feira, 8, para começarem a disputa pelas jóias da ex-deputada federal.

No sábado, 9, um dia após Lúcia Braga vir a óbito na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Nossa Senhora das Neves, em João Pessoa, o neto da ex-primeira dama, Wilson Leite Braga Neto, registrou um Boletim de Ocorrência Online contra Marianna, filha do casal.

Ele afirmou que teria dado um flagra em Marianna, que tem uma ordem de restrição e não podia se aproximar dos país, nem do imóvel deles, pegando jóias da falecida.

Segundo Wilson Leite Braga Neto, na noite do dia 8, após receber a informação do falecimento de Lúcia, ele teria ido até o imóvel da avó para pegar uma roupa para o sepultamento e enterro, quando foi surpreendido por duas advogadas e o motorista.

“Ela teria ordenado que suas advogadas entrassem em casa e pegassem as roupas para o sepultamento, jóias e um colar de perólas sob a desculpa de que iria enterrar ela com esses pertences. Percebi o intuito pecuniário de Marianna, que já vinha há tempos tentando derrubar a medida para ter acesso ao imóvel”, revelou.

Da Redação

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *