Cientistas alertaram sobre calor extremo daqui a 50 anos, mas há locais onde isso já é realidade

Pesquisadores de mudanças climáticas alertam há algum tempo que a Terra testemunhará temperaturas que tornarão regiões “quase inabitáveis” até 2070.

Mas um novo estudo, publicado na revista Science Advances, descobriu que esses extremos já estão ocorrendo.

Condições perigosas que combinam calor e umidade estão surgindo em todo o mundo e, embora esses eventos durem apenas algumas horas, estão aumentando em frequência e intensidade, afirmam os autores.

Eles analisaram dados de 7.877 estações meteorológicas coletados entre 1980 e 2019. Os resultados mostraram que a frequência das ocorrências de temperaturas extremas combinadas com umidade dobrou em algumas regiões subtropicais costeiras durante o período do estudo.

Cada evento desses teria potencial para — se prolongado por um período extenso — provocar mortes.

Onde esses eventos ocorreram?

Esses ocorreram várias vezes em partes de Índia, Bangladesh e Paquistão, no noroeste da Austrália e ao longo das costas do Mar Vermelho e do Golfo da Califórnia, no México.

As temperaturas mais altas e potencialmente fatais foram identificadas 14 vezes nas cidades de Dhahran e Damman na Arábia Saudita, Doha no Catar, e Ras Al Khaimah nos Emirados Árabes Unidos.

Um homem e duas crianças em trajes tradicionais olham para uma cidade no Golfo PérsicoDireito de imagemGETTY IMAGESImage captionAs maiores temperaturas foram observadas sobre o Golfo Pérsico e áreas terrestres imediatamente adjacentes

Partes do sudeste da Ásia, do sul da China, da África subtropical e do Caribe também foram afetadas.

Condições extremas foram verificadas no sudeste dos Estados Unidos dezenas de vezes, principalmente perto da costa de Texas, Louisiana, Mississippi, Alabama e Flórida. As cidades de Nova Orleans e Biloxi foram as mais afetadas.

Fonte: bbc.com 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *