Sérgio da Sac diz que prefeitos e Governo devem agradecer ao povo por reajuste “bilionário”

Suplente de vereador afirmou que a partir de agora é obrigação dos gestores ajudar servidores já que os mesmos não terão reajustes até dezembro de 2021

“Os prefeitos municipais, com destaque para Luciano Cartaxo, de João Pessoa e o governador João Azevedo têm a obrigação de encontrarem meios para ajudar financeiramente a população. No caso da Prefeitura Municipal da Capital, o gestor deverá ajudar a todos os servidores públicos, pois, se não fosse o povo, o Governo Federal não teria aprovado o auxílio bilionário para socorrer Estados e Municípios em meio a crise causada pela pandemia do novo coronavírus”.

O desabado é do suplente de vereador Sérgio da Sac (Solidariedade), nesta quinta-feira, 28. Ele disse que mais uma vez o trabalhador brasileiro, dentre eles todos os servidores públicos municipais, foram penalizados, uma vez que até dezembro de 2021 não terão reajustes nos seus vencimentos. “Temos a certeza que nada será congelado até lá, pois tudo sofrerá reajuste, menos o salário do servidor e trabalhador”, afirmou Sérgio.

De acordo com ele, no caso da Capital João Pessoa, há dias que vereadores vêm cobrando do prefeito Luciano Cartaxo um Projeto de Lei propondo formas alternativas para ajudar os servidores municipais, o que ainda não aconteceu. “Os servidores estão precisando de ajuda. Todos vivem uma situação dramática e, pra completar, não terão mais reajsutes nos vencimentos até o final do próximo ano”, alegou ele.

A proposta sancionada pelo presidente destina repasses de até R$ 120 bilhões a Estados e municípios. Ficam suspensos os débitos junto à União, “inclusive os débitos previdenciários parcelados pelos municípios que vencem no exercício financeiro de 2020”. Também fica permitida a renegociação de operações de crédito junto ao sistema financeiro, com garantia da União.

Consignados

Sérgio da Sac voltoou a cobrar da PMJP a suspensão dos descontos dos empréstimos consignados nos contracheques dos servidores municipais. Segundo ele, projeto já foi aprovado na Câmara de Vereadores pedindo esse benefício e até o momento não houve posicionamento do prefeito Luciano Cartaxo. Ele disse que o Banco Olé já se prontificou e suspender os descontos e que a prefeitura deveria fazer o mesmo em relação aos outros bancos.

“A suspensão desses descontos seria uma paliativo para os funcionários, principalmente neste momento da pandemia da coronavírus, pois o dinheiro já serviria para outras obrigações”, finalizou Sérgio da Sac.

Por Marcos Lima

 

 

 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *