BOMBA – No ano em que servidor não teve 13º salário, secretário de Santa Rita recebeu benefício e embolsou quase R$ 35 mil

“Quem tem telhado de vidro, não joga pedra na do vizinho”.  O provérbio popular tem sido muito usado nos últimos dias por correligionários de políticos, principalmente aliados do prefeito da cidade de Santa Rita, Emerson Panta. Tomando como exemplo a lei da gravidade (Lei de Newton), quando afirma que “para toda ação existe uma reação”, defensores do gestor municipal denunciaram absurdos praticados pelo atual vereador Sebastião Bastos Freire Filho (PT), à época em que ocupava a Secretaria de Bem Estar Social, na gestão do então prefeito Netinho/.

Contracheque comprova que o hoje vereado Sebastião Bastos recebeu o 13º

Entre tantas denúncias, uma das que chama mais a atenção contra o ex-secretário e atualmente vereador pelo Partido dos Trabalhadores dá conta de que, quando secretário municipal, no ano de 2015, o prefeito Netinho não pagou o 13º Salário dos funcionários da Prefeitura Municipal de Santa Rita, porém, por gozar de vários prestígios junto ao então gestor, o petista foi um dos secretários privilegiados, recebendo entre subsídio de secretáro, mais complementação salarial e 13º salário integral, o equivalente a R$ 32.565,00 (trinta e dois mil, quinhentos e sessenta e cinco reais), que após os descontos, colocou no bolso a importância de R$25.448, 89 (vinte e cinco mil, quatrocentos e quarenta e oito reais e oitenta e nove centavos), conforme contracheque divulgado.

Poucos funcionarios da Prefeitura Municipal de Santa Rita tomaram conhecimento dos vencimentos recebidos pelo hoje vereador Sebastião Bastos Freire (Sebastião do Sindicato), quando ocupava a Secretaria de Bem Estar na gestão do prefeito Netinho, principalmente no que diz respeito ao 13º salário, pois ele foi um dos beneficiados pelo prefeito.

Uma outra aberração que veio a público é que, à epoca, o então secretáro Sebastião Bastos Freire e hoje vereador pela cidade de Santa Rita recebeu nos últimos três meses do ano de 2015, subsídio salaria mensal de R$ 2.020,00, totalizando nos três meses o equivalente a R$ 6.060,00, o que seria irregular.

O recebimento do 13º salário, bem como recebimento de subsídio salarial por parte do hoje vereador Sebastião Bastos Freire deverão ser motivos de muitos embates políticos na Câmara Municipal de Santa Rita, assim que as atividades voltarem a ocorrer devido a pandemia da Covid 19.

O vereador foi procurado para falar sobre as denúncias, no entanto não foi localizado.

Por Marcos Lima

 

 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *