Militares indianos morrem em confronto com tropas chinesas

Três militares indianos, incluindo um oficial do exército, foram mortos em um confronto com tropas chinesas na fronteira no alto do Himalaia, informou o exército indiano nesta terça-feira (16). Esse é o 1º confronto entre os dois gigantes asiáticos que resulta na morte de soldados desde 1975, de acordo com a agência de notícias Associated Press.

Milhares de soldados dos dois países se concentram em Aksai Chin-Ladakh há mais de um mês, mas o confronto ocorre em um momento em que se fazia um esforço para se reduzir a tensão na região.

A declaração do exército indiano afirma houve mortes também do lado chinês, o que não foi confirmado por Pequim.

A China acusou a Índia de responsabilidade pelo incidente ao atravessar duas vezes a fronteira. Segundo o porta-voz do ministério das Relações Exteriores chinês, Zhao Lijian, as tropas indianas atravessaram a fronteira e “provocaram e atacaram os chineses, o que gerou um grave confronto grave”.

Autoridades indianas e chinesas voltaram a se encontrar após o incidente. “China e Índia concordam em seguir resolvendo os problemas bilaterais por meio do diálogo. Pedimos novamente à Índia que controle suas tropas na fronteira. Não atravessem a fronteira, não provoquem problemas”, disse o porta-voz chinês.

Tensão na região

Desde o início de maio, as tensões entre os dois países aumentaram ao longo da fronteira comum de 3,5 mil km, que nunca foi devidamente delimitada.

Militares dos dois países se agrediram com socos, pedras e paus na região de Sikkim, no leste da Índia, deixando vários feridos.

As tropas chinesas também avançaram em zonas que a Índia considera dentro de seu território em Ladakh, o que levou Nova Délhi a enviar reforços à região.

Uma crise que as duas partes afirmam, no entanto, querer “resolver pacificamente” pela via diplomática. Após as negociações entre generais dos dois exércitos há 10 dias, um processo de desmilitarização teve início em alguns pontos disputados na região.

Confrontos

As duas potências regionais tiveram várias disputas territoriais nas zonas de Ladakh e Arunachal Pradesh.

Os dois países se enfrentaram em uma guerra relâmpago em 1962. Os confrontos em zonas montanhosas entre os exércitos indiano e chinês se tornaram mais frequentes nos últimos anos.

Em 2017 aconteceram 72 dias de confrontos, depois que forças chinesas avançaram na área disputada de Doklam, na fronteira entre China, Índia e Butão.

Fonte: G1

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *