VÍDEO: Pressionado por sua antiga bancada, Berg Lima chega fora do horário e não consegue protocolar renúncia na Câmara de Bayeux

Pressionado por sua antiga bancada parlamentar, formada pelos vereadores Adriano Martins, França, Dedeta, Cabo Rubem, Guedes, Adriano do Taxi e Uedson Orelha, o prefeito condenado e afastado do cargo, Berg Lima, tentou protocolar sua renúncia no final da tarde desta segunda-feira (13), mas chegou à Câmara Municipal de Bayeux fora do horário de expediente e não conseguiu dar entrada com o documento na Casa.

Recebido pelo presidente Inaldo Andrade, que explicou o funcionamento do parlamento mirim e o seu horário de funcionamento durante a pandemia.

“Só quem pode receber é o secretário legislativo, pelo horário, só amanhã agora. Temos um decreto que diz que o horário de expediente é de 8 às 13 durante a pandemia. Amanhã o senhor vem e dá entrada”, explicou o presidente.

Um vídeo que circula nas redes sociais fez o registro, e mostra a conversa entre Berg e Inaldo. Em nenhum momento vê-se o presidente da Câmara se negando a receber o documento, mas explicando sobre o funcionamento do parlamento e já indicando que nesta terça a renúncia pode ser protocolada sem maiores problemas.

Berg Lima foi afastado do cargo de prefeito de Bayeux pelo Pleno do Tribunal de Justiça da Paraíba no último dia 20 de maio, condenado por contratação de funcionários fantasmas, sentença contra a qual já recorreu em todas as instâncias, até o STF, sem êxito. Além desta, o prefeito já obteve outras duas condenações na corte paraibana.

Em 2017, no caso mais famoso, Berg Lima foi preso em flagrante pelo Coordenador do Gaeco, Octávio Paulo Neto, na saída do Restaurante Sal & Pedra, com um envelope escondido na cueca com a quantia de R$ 3.500,00 recebidos a título de propina de um fornecedor da prefeitura, segundo as investigações, motivo pelo qual permaneceu seis meses preso.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *