Ficha Suja, Bolão não consegue certidão negativa na Justiça Federal e não pode ser candidato

A Justiça Federal da Paraíba, em decisão prolatada pelo juiz João Bosco Medeiros de Sousa, da 1ª Vara, fez ver a Lei da Ficha Limpa (Lei Complementar nº 135, de 4 de junho de 2010) e indeferiu o pedido de medida cautelar de suspensão dos efeitos eleitorais do pré-candidato a vice, Antônio Mendonça Monteiro Júnior (Bolão), na chapa à prefeitura Municipal de Lucena, encabeçada por Léo Bandeira. Com a decisão, Bolão continua inelegível e com condenação imposta pelo Tribunal de Contas da União.

Esta foi a primeira derrota da chapa dos pré-candidatos, que deverá ficar de fora do processo eleitoral do mês de novembro próximo. Antônio Mendonça Monteiro Júnior (Bolão) tenta de todas as formas manter sua pré-candidatura de vice-prefeito, porém, devido aos desmandos administrativos quando esteve à frente da Prefeitura Municipal de Lucena, encontra dificuldades para emplacar seu objetivo.

Com o intuito de voltar a vida pública, Bolão teria entrado com o pedido de suspenção dos efeitos e das implicações eleitorais nas duas condenações no Tribunal de Contas da União. Com o pedido indeferido, mesmo que a chapa tente dar continuidade ao registro para disputar as eleições deste ano, não conseguirá homologar a chapa, ficando de fora da corrida eleitoral, em Lucena.

Bolão foi condenado a 8 anos de inelegibilidade após ter as contas de quando era prefeito reprovadas, e com isso  foi atingido pela famosa Lei da Ficha Limpa.

Fonte: Da Redação com Portal Bastidores da Política 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *