De virada, Fluminense bate o Goiás e sobe na tabela

Foto: Lucas Merçon / Fluminense F.C.

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – O Fluminense saiu atrás, mas virou o jogo, melhorou no segundo tempo e entrou no G-6 do Campeonato Brasileiro. A vitória por 4 a 2 sobre o Goiás, com gols de Yago, Fred, Nenê e Digão, teve um Tricolor com postura bem diferente dos últimos jogos.

Sem tirar o pé do acelerador quando mexeu no placar, o Flu teve boa atuação, controlou o lanterna Esmeraldino e afastou o “fantasma” de Robin Hood da competição. O triunfo levou a equipe de Odair Hellmann ao sexto lugar, com 21 pontos. Na próxima rodada, o Fluminense recebe o Bahia, no domingo, às 16h, no Maracanã.

O MELHOR: DODI
Em um jogo de quatro gols, curiosamente, o melhor jogador em campo não balançou as redes. Ainda em negociação conturbada por sua renovação, o volante foi o motor do Fluminense que marcou quatro gols na Serrinha e entrou no G-6 do Campeonato Brasileiro.

Sem Michel Araújo, coube ao camisa 22 levar o time à frente em uma partida pouco inspirada de Nenê. E o apoiador cumpriu com maestria, distribuindo o jogo e vencendo a maioria das disputas no meio de campo.

FRED VOLTA A BALANÇAR AS REDES
Contra o Botafogo, Fred colocou a bola “quase” dentro do gol, mas o árbitro Anderson Daronco deu gol contra de Kevin. Desta vez, em seu jogo de número 300 com a camisa do Fluminense, o centroavante não perdoou. No segundo tempo, o camisa 9 aproveitou cruzamento da direita e cabeceou para as redes para colocar o Tricolor à frente no placar.

HE-MAN DEIXA DOIS E SE EMOCIONA
Na primeira partida após a morte de sua mãe, Júlia Moura, o atacante Rafael Moura marcou dois gols contra seu ex-clube e foi às lágrimas na Serrinha. Querido no Fluminense, que prestou suas condolências pela perda, o jogador se emocionou muito após abrir o placar.

FLU COMEÇA MELHOR, MAS AGRIDE POUCO
O jogo começou com o Tricolor melhor, jogando principalmente pela ponta direita com Fernando Pacheco. A melhor chance veio com o peruano, aos 13, por ali, mas Fred chegou atrasado no carrinho. Aos 16, Igor Julião cruzou para Yago balançar as redes, mas o impedimento foi marcado, e o gol, anulado. Após o bom início, o Flu passou a agredir pouco, e o Goiás cresceu justamente pelo seu lado esquerdo.

GOIÁS ABRE O PLACAR EM 1ª ‘LEI DO EX’
Com muito erros de passe, os times faziam um jogo truncado. Os donos da casa tinham dificuldade na saída de bola até que o ataque foi mais rápido que a recomposição tricolor. Aos 21, Jefferson avançou pela esquerda e achou Rafael Moura, que fez a lei do ex imperar pela primeira vez no jogo. O gol fez o Goiás crescer ainda mais na partida. Sem Michel Araújo, Nenê, centralizado, aparecia pouco, e o Flu não criava muitas chances.

TRICOLOR EMPATA COM GOLAÇO
O Fluminense já mostrava queda de rendimento quando aos 40, Digão cabeceou à queima-roupa, mas parou em Tadeu. No escanteio gerado, Pacheco pegou rebote na esquerda e cruzou. Hudson escorou e Yago bateu no ângulo, em chute de rara felicidade. O gol foi mais uma lei do ex na Serrinha, e ainda caberia mais.

Foto: Lucas Merçon / Fluminense F.C.

Foto: Lucas Merçon / Fluminense F.C.

FLU VIRA COM FRED
Na volta do intervalo, Odair Hellmann trocou Fernando Pacheco – que foi bem melhor pela direita – e colocou Caio Paulista. Com o camisa 70 em campo, a equipe manteve as tentativas por aquele lado. Logo aos seis, depois de errar no primeiro cruzamento, o atacante colocou a bola na cabeça de Fred, que escolheu o canto para virar a partida.

HE-MAN FAZ MAIS UM
A lei do ex não pararia cedo na Serrinha. Aos 20, em bate e rebate na grande área, Digão e Mike se embolaram e a bola resvalou no braço do zagueiro. O VAR chamou Luiz Flávio de Oliveira, que assinalou pênalti. Na cobrança, Rafael Moura colocou no canto e correu para comemorar mais um.

FLU FAZ DOIS EM CINCO MINUTOS
Em busca da vitória e com postura diferente dos outros jogos, o Fluminense subiu a marcação para forçar o erro do Goiás. E ele veio aos 24, quando Hudson roubou a bola de Ratinho e tocou para Nenê. Na entrada da área, o camisa 77 não perdoou e bateu no cantinho, sem chance para Tadeu, marcando seu 18º gol em 2020. Sem tirar o pé do acelerador, o Tricolor ainda marcaria de novo aos 30: Danilo Barcelos colocou na área, a zaga do Esmeraldino não cortou e Digão tentou duas vezes antes de chutar no canto para balançar novamente as redes.

GOIÁS
Tadeu; Edilson, Fábio Sanches, Heron e Jefferson (Shaylon); Breno, Ratinho e Ignacio Jara (Caju); Victor Andrade (Mike) (Vidal), Rafael Moura e Vinícius. Técnico: Enderson Moreira

FLUMINENSE
Muriel; Igor Julião (Daniel), Nino, Digão e Danilo Barcelos; Hudson (Wisney), Dodi, Yago Felipe, Nenê (Christian); Fernando Pacheco (Caio Paulista) e Fred (Felippe Cardoso). Técnico: Odair Hellmann

Estádio: Serrinha, em Goiânia (GO)
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira (SP)
Assistentes: Danilo Ricardo Manis e Evandro de Melo Lima (ambos de SP)
VAR: José Cláudio Rocha Filho (SP)
Cartões amarelos: Breno, Ratinho (G), Yago Felipe, Fernando Pacheco (F)
Gols: Rafael Moura, aos 21min, Yago Felipe, 40min do 1º tempo; Fred, aos 6min, Rafael Moura, aos 22min, Nenê, aos 24min, e Digão, aos 30min do 2º

Folhapress

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *