Trump e Biden dividem primeiros Estados com resultados projetados; Flórida tem disputa acirrada

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o rival democrata, Joe Biden, dividiram as vitórias nos primeiros Estados norte-americanos a terem resultados projetados na corrida à Casa Branca na noite desta terça-feira, e os dois candidatos estavam lado a lado na Flórida e em outros Estados decisivos, incluindo Geórgia e Ohio.

À medida que as urnas começavam a fechar em mais da metade dos 50 Estados norte-americanos, em uma eleição realizada em um país profundamente polarizado e em meio a uma pandemia, a Edison Research projetou que Trump venceria em Indiana, e a Associated Press apontou o republicano conquistando o Estado de Kentucky, enquanto a Fox News projetava que Biden ganharia Vermont e Virgínia, com tendências democratas.

No decisivo Estado da Flórida, necessário para o republicano em sua busca pelos 270 votos necessários no Colégio Eleitoral para ganhar a Presidência, ele e Biden estavam essencialmente empatados em cerca de 49% cada, com cerca de 81% dos votos apurados.

Os eleitores, muitos deles usando máscaras e mantendo o distanciamento social para se protegerem contra o contágio pelo coronavírus, passaram por longas filas em algumas locações, e por curtos períodos de espera em muitas outras. Não houve sinais de perturbações ou violência em zonas eleitorais, como temiam algumas autoridades.

Pelo menos 270 votos eleitorais, determinados pela população de cada Estado, são necessários para vencer.

Trump, de 74 anos, está com um número significativo o bastante de intenções de voto em diversos Estados cruciais, o suficiente para repetir o tipo de virada que conseguiu em 2016, quando derrotou a democrata Hillary Clinton apesar de perder o voto popular nacional por cerca de 3 milhões.

Apesar da divulgação dos primeiros resultados, a apuração pode continuar por dias.

“Estou esperançoso”, disse Biden a jornalistas em seu Estado do Delaware, após aparecer anteriormente no decisivo Estado da Pensilvânia para fazer um apelo de última hora a seus eleitores.

“O que estou ouvindo”, acrescentou o democrata, “é que há um comparecimento esmagador, e esmagador especialmente por causa de jovens, mulheres” –e em alguns Estados por causa de eleitores negros mais velhos– grupos que podem favorecê-lo.

Em Arlington, na Virgínia, Trump afirmou: “Eu acredito que teremos uma grande noite… Mas é política, e são as eleições, e você nunca sabe. Ganhar é fácil. Perder nunca é fácil – não para mim”, acrescentou Trump.

AgoraNotíciasBrasil 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *