Nevada e Geórgia podem definir as eleições dos EUA nesta quinta

Os estados de Nevada Geórgia podem definir as eleições dos Estados Unidos nesta quinta-feira (5). Faltam os resultados de cinco estados, mas esses dois devem ser o suficiente para definir quem vai comandar a Casa Branca pelos próximos quatro anos.

Se vencer em Nevada, o candidato democrata Joe Biden terá votos suficientes no Colégio Eleitoral para ser eleito o 46º presidente dos EUA. Para o republicano Donald Trump, o caminho é mais difícil: é necessário vencer na Geórgia, na Carolina do Norte e na Pensilvânia e virar o resultado em Nevada.

O democrata lidera a corrida com 264 votos no Colégio Eleitoral (para vencer, é preciso chegar a 270). O atual presidente tem 214 e deve garantir mais 3 votos no Alasca (Trump lidera por 29 pontos percentuais no estado), mas o pequeno número de delegados não deve fazer diferença no resultado da eleição.

Nevada deve voltar a divulgar a apuração às 13h (horário de Brasília). Os 6 votos do estado no Colégio Eleitoral são suficientes para que Biden atinja os 270 delegados e vença Trump, segundo projeções da agência de notícias Associated Press (AP). O democrata lidera por menos de 1 ponto percentual no estado.

Também há expectativa de divulgação dos resultados na Geórgia, que vale 16 votos no Colégio Eleitoral. Trump lidera por menos de 0,5 ponto percentual, mas a vantagem tem diminuído consideravelmente.

republicano lidera também por 1,4 ponto percentual na Carolina do Norte (15 votos) e menos de 3 na Pensilvânia (20 votos), onde a diferença vem diminuindo consideravelmente (eram 14 pontos de vantagem na madrugada de ontem).

Virada no Arizona?

Há ainda o Arizona (11 votos). Embora a Associated Press e veículos de imprensa como a Fox News já tenham declarado vitória de Biden no estado, o jornal “The New York Times” e a CNN ainda apontam possibilidade de virada de Trump. Se isso ocorrer, há mais cenários em que o republicano pode se reeleger.

Manifestantes favoráveis ao presidente protestam em frente ao centro de contagem de votos do condado de Maricopa, onde fica Phoenix, a maior cidade do Arizona. Segundo a agência de notícias Reuters, alguns carregavam rifles. A contagem de votos chegou a ser paralisada temporariamente.

Grupo pró-Trump protesta em frente ao centro de contagem de votos de Phoenix, no Arizona, na noite de quarta-feira (4) — Foto: Edgard Garrido/Reuters
Grupo pró-Trump protesta em frente ao centro de contagem de votos de Phoenix, no Arizona, na noite de quarta-feira (4) — Foto: Edgard Garrido/Reuters

Além disso, Trump pediu recontagem de votos no Wisconsin e tenta suspender a apuração na Pensilvânia, na Geórgia e no Michigan. Biden já foi declarado vencedor no Wisconsin e no Michigan, estados onde o republicano venceu em 2016.

AgoraNotíciasBrasil 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *