Virada do 1º para o 2º turno ocorre em só 24% dos casos


Os candidatos Eduardo Paes (DEM), Marcelo Crivella (Republ.), Bruno Covas (PSDB) e Guilherme Boulos (Psol). Disputas no Rio e em São Paulo tiveram mais de 10 p.p. de diferença no 1º turno em 2020Pedro França/AS – Marcos Corrêa/PR – Governo de SP – Justin Lui/Columbia GSAPP

As grandes cidades brasileiras tiveram 242 disputas de 2º turno de 1996 a 2016. Isso ocorre quando 1 candidato não recebe 50% mais 1 dos votos válidos em municípios com mais de 200 mil eleitores.

Em 23,6% desses casos, ou seja, 57 vezes, foram registradas viradas entre os turnos. O candidato que ficou na 2ª posição na 1ª parte do pleito acabou alavancando sua candidatura e se tornando prefeito no final.

Dados históricos compilados pelo Poder360 mostram que as reviravoltas são ainda mais raras quando a diferença percentual entre 1 candidato e outro no 1º turno é maior que 10 pontos: foram apenas 14 casos assim nos últimos 24 anos. Nesses cenários, é mais incomum o 2º colocado conseguir vencer.

2º TURNO NAS CAPITAIS

Eleitores de 18 capitais voltarão às urnas em 29 de novembro. Em metade dessas cidades, a diferença entre 1 candidato e outro no 1º turno foi maior que 10 p.p.. A chance de reviravolta é reduzida nesses casos.

Em amarelo, no infográfico abaixo, estão os cenários em que a diferença percentual entre os postulantes foi menor que 10 pontos. As chances de virada são maiores nessas situações.

Nas duas maiores cidades do país, São Paulo e Rio de Janeiro, os eleitores voltarão às urnas em 29 de novembro. As disputas nessas capitais terminaram com mais de 10 p.p. de diferença no 1º turno. Não é impossível que haja grandes mudanças, mas os dados mostram que historicamente as probabilidades são mais baixas.

OUTRAS GRANDES CIDADES

São 39 os municípios do interior ou de regiões metropolitanas que ainda não definiram seus prefeitos. Em 22 deles, a diferença é maior que 10 pontos percentuais.

Leia abaixo, em ordem alfabética:

 

 

HISTÓRICO

Poder360 analisou as últimas 7 eleições municipais e fez 1 levantamento de cada ano.

  • 1996 – 31 cidades com 2º turno e 7 viradas. Todas com diferença abaixo de 10 pontos percentuais no 1º turno (em amarelo no infográfico).

  • 2000 – 31 cidades com 2º turno e 6 viradas.

  • 2004 – 43 cidades com 2º turno e 12 viradas.

  • 2008 – 30 cidades com 2º turno e 5 viradas.

  • 2012 – 50 cidades com 2º turno e 13 viradas.

  • 2016 – 57 cidades com 2º turno e 14 viradas.

O PSDB (9), o MDB (8) e o PDT (6) foram as siglas com mais candidatos atingindo a dianteira no 2º turno e virando o resultado. Leia a lista completa.

Já quando considera-se os Estados, São Paulo foi recordista, com 16 casos. É também a unidade da Federação com mais cidades onde pode haver 2º turno: 28. Em seguida aparecem Rio de Janeiro (8 viradas), Minas Gerais (6) e Rio Grande do Sul (6). Leia o ranking completo.

De todas as cidades com 2º turno desde 1996, apenas Santos (SP) teve 3 viradas registradas. Outros 11 municípios tiveram reviravoltas duas vezes cada 1.

Poder360

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *