JEITINHO BRASILEIRO NO CONDE – Ex-prefeitos inelegíveis Aluízio Regis e Tatiana Lundgreen nomeiam e contratam serviços na gestão da nora como se eleitos tivessem sido

A atual gestão municipal do Conde, cuja prefeita é a advogada Karla Pimentel (PROS), nora dos ex-prefeitos inelegíveis Aluízio Régis e Tatiana Correia, tem sido nesse começo de administração um verdadeiro ‘guarda chuvas’ para os dois e seus exércitos de áulicos espalhados pela região.

O sogro Aluízio Régis, que indicou e conseguiu botar na presidência da Câmara Municipal um vereador de antigos carnavais (Luzimar Nunes), virou Chefe de Gabinete da Casa com salário de R$ 4.000,00 mensais e há quem ateste que manda mais que o presidente. Tanto é verdade, que mandou lá nomear, também com boa remuneração mensal, um antigo desafeto que caira nas graças da ex-esposa quando era prefeita – Vailson -, cidadão que apelidou de “Barbie” por conta das suas preferencias sexuais e a quem aplicou uma histórica surra de cipó de boi no interior do restaurante da nora, no centro de Jacumã, ato que repercutiu Brasil afora.

A folha de pagamento de servidores da prefeitura está inchada de nomes ligados à família dos dois ex-prefeitos, a começar pelo Chefe de Gabinete da prefeita, Hermann Régis, nada mais nada menos que esposo de Karla e filho do mal arrumado casal que desastradamente governou o Município.

A contratação de serviços – essenciais ou não – passa pelo crivo dos dois também, com olhar prestativamente vigilante do filho que chefia o gabinete da dama, repartição onde o vice-prefeito Dedé Sales também acomodou parte do seu time a começar pelas esposas, a atual e a ex que mora em Caldas Novas-GO, conforme mostrou matéria deste portal dias atrás.

O “presente” para a amiga de Tatiana: $ 36.826,00 para fornecer quentinhas

De contratos com valores elevados, como o do lixo que beira a casa dos R$ 3 milhões para um trabalho emergencial de apenas 180 dias, cujos ilícitos apontados pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) continuam sob investigação, até o fornecimento de supostas quentinhas (refeições) para as secretarias da Administração e da Saúde – com ou sem licitação – tudo é entregue aos amigos dos ex-prefeitos como se eles tivessem voltado a chefiar o Conde.

AS QUENTINHAS

No dia 25 de fevereiro, através do empenho 424/2021, a senhora Rozeli Barbosa Guedes, que mora na rua Tertuliano de Castro, 101, aptº 106, bairro do Bessa, em João Pessoa, procuradora dos negócios imobiliários da mãe de Tatiana Lundgreen, foi beneficiada com um contrato de R$ 25.000,00 para fornecer em regime de urgência, com dispensa de licitação, quentinhas à Secretaria de Saúde.

Já no dia 02 de março em curso, através do empenho 570/2021, Dona Rozeli ganhou novo presente, desta vez um valor menor de R$ 11.826,00 para “mediante requisição diária e cardápio definido” entregar comida para a Secretaria da Administração.

Os dois contratos somam R$ 36.826,00 e a empresa de Dona Rozeli atende pelo nome fantasia ‘D’Kasa restaurante, marmitaria e quentinhas’, está ativa no CNPJ, mas o código de inscrição ressalva que a atividade fim da empresa se limita a “alimentos preparados preponderantemente para consumo domiciliar”, o que não seria o caso das secretarias, configurando em tese uma anormalidade contratual.


Dona Rozeli era diretora importante na gestão de Tatiana

No Governo Tatiana Dona Rozeli era importante na estrutura funcional, nomeada que foi como Diretora Geral da Secretaria de Habitação e Regularização Fundiária do Município, nada a ver com cozinhar feijão, arroz ou fazer saladas para servir quentinhas em Jacumã.

TERRENO EM TABATINGA

Na condição de funcionária graduada da prefeitura do Conde na gestão de Tatiana, mas atuando como tutora da mãe da prefeita, Jeranil, que faleceu em 2008, Dona Rozeli se envolveu em uma grande confusão quando do registro de uma venda imobiliária suspeita que teria levado o Cartório Lopes Carneiro, onde a tabeliã é sogra do atual vice-prefeito Dedé Sales, a ser citado como parcialmente responsável pela trama, publicada pelo portal JAMPA NEWS, de João Pessoa, mas que veio a ser desmentida por Dona Marilene, a tabeliã.

Dona Rozeli como tutora da mãe de Tatiana se envolveu em problemas na na venda de imóveis do espólio

Tudo começou com a compra de um terreno em Tabatinga onde supostamente houve transações inadequadas. A tabeliã Marilene Lopes disse que as informações do portal eram irresponsáveis e infundadas e ameaçou processar o jornalista responsável, Lelo Cavalcanti, o que não se concretizou.

Marilene Lopes enfatizou que o comprador do tal terreno, por nome de Welington, procurou o cartório para fazer uma escritura publica, mais foi informado que o mesmo não poderia fazer a tal escritura porque o terreno estaria em inventario de Dona Jeranil, a mãe falecida da prefeita da época, aconselhando-o a esperar o término do inventario para aí sim, munido da documentação exigida, lavrar a escritura.

Fonte: Reproduzido de apalavraonline.com.br

Compartilhar:

(Visited 110 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *