Policiais penais criticam criterio adotado para distribuição de vacina e dizem que houve discriminação

Sindicato faz comparativo com RN e conclui que na PB houve desrespeito com o Sistema Penitenciário

Injusto, intencional e discriminatório. Essas foram as palavras usadas nesta sexta-feira, dia 9, pelo presidente do Sindicato dos Agentes e Servidores do Sistema Penitenciário da Paraíba (Sindasp-PB), Manuel Leite de Araújo, ao fazer uma comparação com o número de doses da vacina contra a covid 19 disponibilizada para os policiais penais do Estado da Paraíba em relação ao Rio Grande do Norte. As Forças de Segurança Públicas da Paraíba começaram a receber a primeira dose na quinta-feira, 8 e, para a Polícia Penal do Estado, de um total de 1.639 a serem vacinados, foram disponibilizadas apenas 7 doses de vacina, diferente do Estado vizinho, que foram 100.

Na Paraíba, apenas 7 doses foram disponibilizadas para os policiais penais confrme tabela demonstrativa

“No Rio Grande do Norte foi justo. Na Paraíba foi desrespeitoso. No País, a Paraíba foi o único Estado que os critérios adotados para a vacinação, foi discriminatório, desrepeitoso e intencional por parte daqueles que cordenaram e têm o poder de determinar a distribuição dessas doses”, afirmou Manuel Leite.

No RN foram disponibilizadas 100 doses de vacina na primeira fase conforme tabela

O presidentre do Sindasp-PB criticou também a atitude adotada para a vacinaçao dos profissionais de segurança pública, quando, servdiores públicos remanejados de outras secretarias e que trabalham na Polícia Penal do Sistema Penitenciário do Estado foram excluído do processo de vacinação, diferente do Rio Grande do Norte que disponibilizou vacinas até para guardas municipais. “Aqui, na Paraíba, é a discriminação da discriminaçao”, disse.

Por Marcos Lima

 

Compartilhar:

(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *