Austrália pode se manter fechada a viajantes até 2022, diz ministro

País fechou as fronteiras internacionais em março do ano passado e vem enfrentando com sucesso a pandemia da covid-19

A Austrália cogita se manter fechada para viajantes estrangeiros até 2022 por causa das incertezas em torno de vacinas contra a covid-19 e novas cepas do coronavírus, declarou o Ministro das Finanças, Simon Birmingham, em uma entrevista publicada nesta quinta-feira (6).

“Incertezas sobre a velocidade da vacinação e sua eficácia contra diferentes variantes da covid-19, bem como sua duração e sua eficácia, são considerações que significam que não abriremos as fronteiras de uma só vez no início do próximo ano muito facilmente”, afirmou o ministro ao jornal australiano The Australian.

A Austrália se fechou para viajantes do exterior em março de 2020 e vem enfrentando com sucesso a pandemia do coronavírus, em relativa normalidade que foi quebrada apenas por confinamentos rápidos e abruptos por alguns surtos causados por falhas nos protocolos de quarentena nos centros de retorno de residentes.

O governo também proibiu, desde a semana passada, a entrada de australianos que vivem na Índia. Desde a última segunda-feira, ameaçou multar e até prender quem tentar retornar do país asiático, o que deu início a uma batalha judicial porque a medida seria ilegal.

A reabertura internacional é uma das preocupações dos imigrantes na Austrália. De acordo com o último censo nacional, realizado em 2016, metade dos 25 milhões de habitantes nasceu no exterior ou tem pelo menos um dos pais de outros países.

Por enquanto, a Austrália tem uma bolha de viagem com a Nova Zelândia, que tem permitido viagens nos dois sentidos sem quarentena desde 18 de abril, e vem contemplando acordos similares com Cingapura e Hong Kong.

O primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, que inicialmente esperava abrir as fronteiras internacionais em outubro deste ano, após o fim da campanha de vacinação, disse recentemente que se aconselhou com especialistas para permitir que as pessoas que foram imunizadas pudessem deixar o país.

Porém, um dos maiores problemas de seu governo é o atraso em seu calendário de imunização devido a problemas como exportação ou efeitos colaterais, o que resultou na distribuição até hoje de cerca de 2,5 milhões de doses, muito aquém dos 4 milhões inicialmente previstos para o final de março.

A Austrália acumulou desde o início da pandemia cerca de 30 mil casos de coronavírus e 910 mortes, a maioria delas devido a falhas nos centros de quarentena para viajantes internacionais na cidade de Melbourne. O problema foi detectado em meados de 2020, e desde então há apenas surtos esporádicos de covid-19.

Fonte: R7

Compartilhar:

(Visited 43 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *