sáb. jun 25th, 2022

A Justiça Eleitoral cassou o registro das candidaturas do prefeito eleito do município de Gado Bravo, Marcelo Paulino da Silva, e do vice, Cícero Edmark Araújo. A decisão foi do juiz da 49ª Zona Eleitoral em Queimadas, Jeremias de Cássio Carneiro de Melo, e atende ao pedido do Ministério Público Eleitoral. Na ação, o MPE sustenta os dois teriam praticado, nas respectivas condições de prefeito interino e candidato, respectivamente, a prefeito e vice-prefeito, abuso de poder político e econômico ao custear as despesas com publicidade de sua campanha com recursos públicos municipais. No processo é citado o repasse de R$ 5 mil para a empresa Top Mídia. A contratação do serviço foi alvo de uma operação da Polícia Federal durante a campanha. “Recursos públicos que deveriam ser utilizados tão somente em prol do Município de Gado Bravo-PB e, por conseguinte, do interesse público, foram, à luz da prova colhida, utilizados em benefício de interesses absolutamente privados e totalmente destoantes dos fins aos quais se destinam tais bens, havendo um desfalque no montante de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) justamente por quem tem o dever de gerir a coisa pública”, destaca o juiz em sua decisão. O juiz determinou a aplicação de inelegibilidade para as eleições que se realizarem pelos próximos oito anos a contar de 2021 e a cassação dos registros dos eleitos. De acordo com a promotora de Justiça eleitoral, Carolina Honorato, cabe recurso da decisão e se a sentença for mantida, haverá uma terceira eleição para prefeito e vice-prefeito no município da região do Agreste da Paraíba

Cerca de 400 famílias que viviam na ocupação Dubai, em João Pessoa, deverão passar os primeiros dias após a reintegração de posse feita pela Polícia Militar no Centro Profissionalizante Deputado Antonio Cabral (CPDAC). De acordo com a secretária de Habitação de João Pessoa, Socorro Gadelha, essas pessoas começaram a ser cadastradas no auxílio moradia da prefeitura e posteriormente serão transferidas para um lar permanente.

“Idosos, deficientes, mulheres grávidas, todos eles foram separados. Entramos de casa em casa e catalogamos todos seus pertences. Pessoas optaram em ir para casa de família, o que não invalida de maneira nenhuma o auxílio moradia. Elas estão no CPDAC um campo profissionalizante do Governo do Estado que fica no Valentina sendo aguardadas pelas assistentes sociais e logo em seguida vão aguardar o auxílio moradia”, detalhou a secretária.

Ainda de acordo com a Secretária de Habitação de João Pessoa, os recursos destinados ao auxílio moradia da prefeitura já foram autorizados pelo prefeito Cícero Lucena (PP), que pediu agilidade no processo de cadastramento e distribuição do auxílio.

“Toda inscrição foi feita hoje em loco, família por família, justamente para não demorar porque o prefeito Cícero Lucena já estabeleceu recursos que serão atendidas todas famílias que estão dentro da missão. O recurso está garantido pelo prefeito e é uma questão meramente burocrática. Nenhuma (família) ficará desassistida, todas elas estarão numa casa escolhidas por ela e paga pela prefeitura” explicou Socorro Gadelha.

Desocupação da comunidade Dubai

Ao menos 600 policiais militares, oficiais de Justiça e representantes de secretarias municipais de João Pessoa iniciaram a desocupação da comunidade Dubai na manhã desta terça-feira (23). A comunidade ficava numa área de preservação da Mata Atlântica e, segundo investigações da Polícia Militar, havia tráfico de drogas e vendas ilegais de terrenos no local.

Vídeo 

(Visited 8 times, 1 visits today)